quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A bênção da confissão


"Confessei-te o pecado e a minha maldade não encobri; dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado" (Salmos 32:5).

O pecado sempre traz separação. Quando nos comportamos mal com membros da família ou usamos descuidadamente a língua, ferindo outros, nossos atos pecaminosos criam barreiras entre nós e as pessoas.

O pecado nos separa também de Deus. Quando desobedecemos a qualquer dos mandamentos que ele amorosamente estabeleceu para nossa proteção, levantamos um muro entre nós e aquele que nos fez. Somos nós que contribuímos esse muro. Mas a Palavra de Deus provê uma solução para essa barreira: a confissão.

Confissão foi definida como "concordar com Deus sobre o nosso pecado". As palavras mais comuns para o pecado no Antigo Testamento são "transgressões" e "iniquidade". O Salmo 32 contém referências frequentes a esses atos que servem para nos separar de Deus.

Quando não confessamos os pecados, acabamos por tentar esconder-nos de Deus. Como Adão e Eva no jardim, sentimos que não podemos encará-lo. O problema, porém, com a tentativa de ocultar-se de Deus é que isso é impossível. A Bíblia diz que tudo o que fizemos será exposto, até o que dissemos e pensamos em segredo. "E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes, todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar" (Hb 4 :13).

Que pensamento amedrontador! Se cada um de nós terá de prestar contas, quanto mais rapidamente nos acertamos com Deus, melhor. De fato, quanto mais depressa lidarmos com os pecados que podemos ver, mais rápido Deus pode revelar-nos aqueles que não vemos. Só Deus quantos residem em cada um de nós. O pecado sempre traz consequências. O rei Davi relatou isso melhor ao escrever sobre o próprio pecado não confessado: "Enquanto eu me calei, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio" (Salmo 32:3-4).

A confissão também apresenta uma "consequência", uma boa consequência! Um coração livre e feliz! Quando confessamos os pecados a Deus, somos abençoados. Ser abençoado significa desfrutar o favor de Deus. Não há maior bênção que saber que seus pecados foram perdoados pelo Senhor.

2 comentários:

  1. É verdade, as vezes fazemos algumma coisa de errado e tentamos esconder de TODOS, só que esquecemos que Deus esta no céu, vendo tudo e se entristecendo por nossa CULPA!!!!

    ótimo blog, irmão!!

    ResponderExcluir
  2. It is time to confess!

    ResponderExcluir